Todos os Direitos Reservados Encaminhe Certo | Soluções Sustentáveis
Encaminhe Certo | Construção Sustentável
15266
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-15266,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.4,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Construção Sustentável

Quais são os benefícios de uma construção sustentável?

 

  • Redução dos custos de investimento e de operação;
  • Imagem, diferenciação e valorização do produto;
  • Redução dos riscos;
  • Mais produtividade e saúde do usuário;
  • Novas oportunidades de negócios;
  • Satisfação de fazer a coisa certa.
Construção sustentável custa mais caro?

A adoção de soluções ambientalmente sustentáveis na construção não acarreta em um aumento de preço, principalmente quando adotadas durante as fases de concepção do projeto. Em alguns casos, podem até reduzir custos. Ainda que o preço de implementação de alguns sistemas ambientalmente sustentáveis em um edifício verde gere um custo cerca de 5% maior do que um edifício convencional, sua utilização pode representar uma economia de 30% de recursos, durante o uso e ocupação do imóvel. Um sistema de aquecimento solar, por exemplo, se instalado em boas condições de orientação das placas, pode ser pago, pela economia que gera, em apenas um ano de uso. Edifícios que empregam sistema de reuso de água (a água dos chuveiros e lavatórios, após tratamento, volta para abastecer os sanitários e as torneiras das áreas comuns) podem ter uma economia de água da ordem de 35%. Por princípio, a viabilidade econômica é uma das três condições para a sustentabilidade.

 

O estudo inglês Costing sustainability – Custo e Sustentabilidade, “How much does it cost to achieve BREEAM and EcoHomes ratings (2004)”, Quanto custa para atingir a classificação BREEAM – Building Research Establishment Environmental Assessment Method – Método de Avaliação e Pesquisa de Construções Ambientais e Eco-Edificações, concluiu que em alguns casos a adoção de estratégias avançadas de sustentabilidade podem inclusive reduzir custos.

 

“Além de gerar economia, a construção sustentável vai se valorizar. Ou seja, os imóveis sustentáveis terão maior valor de venda e revenda, em poucos anos” Alexandre Melão (Esfera)

 

A pergunta torna-se ainda mais intrigante quando se percebe que, em um primeiro momento, o investidor terá um gasto maior em sua obra, estimado entre 1% e 7%, para adequar a construção. No entanto, apesar deste gasto inicial, ao cumprir as exigências para a aquisição do certificado, como por exemplo, a redução de gastos com água, energia, qualidade do ar interno, utilização de materiais renováveis, dentre outras medidas, o ganho financeiro final chega a 15%.

 

Assim, construir respeitando o meio ambiente é na verdade um investimento, pois gera para a obra um retorno bastante significativo.

 

O fator financeiro sem dúvida torna a construção sustentável interessante, mas não é fator isolado na análise de vantagens. Além do aumento da rentabilidade do empreendimento, traz benefícios de marketing, o que poderá obviamente potencializar os ganhos, sem contar a sua vantagem principal, que é a própria conservação do meio ambiente.

 

Desta forma, além de ser fator de respeito aos anseios do meio ambiente, é item aliciente de marketing do próprio empreendimento, e, gera maior rentabilidade para os construtores e adquirentes. Logo, por qualquer ângulo que se olhe, é fator diferencial competitivo.

Quais são as vantagens?
  • Econômicos;
  • Diminuição dos custos operacionais;
  • Diminuição dos riscos regulatórios;
  • Valorização do imóvel para revenda ou arrendamento;
  • Aumento na velocidade de ocupação;
  • Aumento da retenção;
  • Modernização e menor obsolescência da edificação;
  • Sociais;
  • Melhora na segurança e priorização da saúde dos trabalhadores e ocupantes;
  • Inclusão social e aumento do senso de comunidade;
  • Capacitação profissional;
  • Conscientização de trabalhadores e usuários;
  • Aumento da produtividade do funcionário; melhora na recuperação de pacientes (em Hospitais); melhora no desempenho de alunos (em Escolas); aumento no ímpeto de compra de consumidores (em Comércios);
  • Incentivo a fornecedores com maiores responsabilidades socioambientais;
  • Aumento da satisfação e bem estar dos usuários;
  • Estímulo a políticas públicas de fomento a Construção Sustentável;
  • Ambientais;
  • Uso racional e redução da extração dos recursos naturais;
  • Redução do consumo de água e energia;
  • Implantação consciente e ordenada;
  • Mitigação dos efeitos das mudanças climáticas;
  • Uso de materiais e tecnologias de baixo impacto ambiental;
  • Redução, tratamento e reuso dos resíduos da construção e operação.

Algumas soluções das Construções Sustentáveis:

Espaço Sustentável

Encoraja estratégias que minimizam o impacto no ecossistema durante a implantação da edificação e aborda questões fundamentais de grandes centros urbanos, como redução do uso do carro e das ilhas de calor.

Eficiência do uso da água

Promove inovações para o uso racional da água, com foco na redução do consumo de água potável e alternativas de tratamento e reuso dos recursos, inclusive com uma visão para o futuro onde a possibilidade de escassez é real, como já acontece em muitos lugares.

Energia e Atmosfera
Promove eficiência energética nas edificações por meio de estratégias simples e inovadoras, como por exemplo simulações energéticas, medições, comissionamento de sistemas e utilização de equipamentos e sistemas eficientes.
Materiais e Recursos
Encoraja o uso de materiais de baixo impacto ambiental (reciclados, regionais, recicláveis, de reuso, etc.) e reduz a geração de resíduos, além de promover o descarte consciente, desviando o volume de resíduos gerados dos aterros sanitários.
Qualidade ambiental interna

Promove a qualidade ambiental interna do ar, essencial para ambientes com alta permanência de pessoas, com foco na escolha de materiais com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis, controle de sistemas, conforto térmico e priorização de espaços com vista externa e luz natural.

Inovação e Processos

Incentiva a busca de conhecimento sobre “Green Buildings” Construções Verdes, assim como, a criação de medidas projetuais não descritas nas categorias do LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) Liderança em Energia e Design Ambiental. Pontos de desempenho exemplar estão habilitados para esta categoria.

 

As inovações decorrem da conjunção simultânea de três fatores: sociedade, tecnologia e economia. No momento atual a sociedade aceita e está disposta até a pagar mais por produtos sustentáveis, os quais, absorvendo a tecnologia disponível os tornaram economicamente viáveis. A utilização e inserção nos meios produtivos são absorvidos primeiramente por aqueles de maior visão com relação a sua posição dentro da sua esfera de atuação, sendo seguidos posteriormente pelos demais.

Créditos de Prioridade Regional

Incentiva os créditos definidos como prioridade regional para cada país, de acordo com as diferenças ambientais, sociais e econômicas existentes em cada local. Quatro pontos estão disponíveis para esta categoria.

Vamos conversar mais?